5 dicas sobre como organizar a sua vida financeira

Por: Da Redação em 09/02/2021
Organize-suas-financas-de-forma-simples-1_Organize_suas_financas

A educação financeira é muito mais do que falar em dinheiro, ela é qualidade de vida! Conhecimento e experiência não ocorrem do dia para noite. Nem o hábito de poupar e investir se consolida de imediato. Eles precisam e devem ser experimentados, gradativamente, vividos no dia a dia, nos momentos de crise ou não, até serem lapidados e incorporados, de vez, à sua rotina!

Uma das coisas que nos separam dos outros seres vivos e nos torna humanos é a capacidade de ser consciente e, através desta consciência, modificar nossa realidade” [Deborah L. Prince – Trecho do livro: Terapia do Dinheiro]

Não há um único método para gerir sua qualidade de vida, mas através da educação financeira, você vai construir o seu melhor caminho da prosperidade. E nesta caminhada você verá a importância da persistência e determinação nos diferentes momentos.

Você está com dificuldade financeira? Precisa de um “empurrãozinho” para mudar esta situação? Então, não saia daqui! Na sequência, tudo o que você precisa saber sobre educação financeira, além de dicas essenciais para você dar o “pontapé” inicial nas dívidas e ter uma vida financeira mais tranquila! Acompanhe conosco!

O que é educação financeira?

Algumas pessoas associam Educação Financeira com investimentos, na verdade não é bem isso que significa o termo, pois possuir essa educação na verdade quer dizer que você sabe lidar com o dinheiro, independentemente do quanto ganha.

Saber lidar com o dinheiro é valorizar o seu dinheiro, você pode até pensar que sabe fazer isso, mas pode se enganar, porque a sociedade em que vivemos nos motiva a consumir, ostentar e a aumentar nossos gastos.

A Educação Financeira é uma nova modalidade de aprendizado, voltada a mostrar a importância de usar bem o seu dinheiro, construir riqueza e diminuir gastos que não são essenciais.

Qual é a importância da educação financeira?

Na prática, a importância da educação financeira é dar condições para uma pessoa decidir melhor o que fazer com seu dinheiro. É nesse ponto que surgem as estratégias: quanto dinheiro poupar? Onde investir? Ter maior rentabilidade, liquidez ou segurança? Enfim, todas essas perguntas podem ser facilmente respondidas se você tem ao seu lado a educação financeira.

Para começar a tratar sobre a importância da educação financeira, precisamos considerar três conceitos, que são: ganhar, economizar e investir. Isso pode parecer bastante óbvio, mas nem sempre é algo que faz parte das vidas das pessoas (pelo menos das que passam por dificuldades constantemente). O fato é que certamente as pessoas bem-sucedidas em seu meio de atuação sabem como funcionam esses conceitos e tiram deles seu melhor proveito.

Essas pessoas dificilmente acumulam dívidas comprando o que está acima de suas possibilidades financeiras. Isso porque elas têm o controle necessário sobre sua renda, inclusive, sendo capazes de identificar com precisão cada gasto feito. E por que isso é importante? Porque quando alguém registra seus gastos, consegue acompanhar melhor as movimentações e assim trocar uma despesa desnecessária ou eliminá-la.

Consequentemente, é possível repensar todo um conjunto de hábitos de consumo para gerar economia no fim do mês. Economizando, é possível investir. E quando a pessoa investe, ela age em função de sua prosperidade financeira.

Como um curso de educação financeira pode ajudar?

Aprender a lidar melhor com dinheiro é sempre positivo. Independente de você estar ou não no vermelho, o curso de educação financeira vai te ajudar a compreender qual é a melhor maneira de administrar o quanto você ganha e o quanto gasta.

Diversas instituições disponibilizam uma série de aulas gratuitas para quem deseja mudar alguns hábitos financeiros e colocar as contas em dia. Essa iniciativa vem em boa hora, já que não sabemos como ficará a economia quando a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) acabar.

Se você pesquisar no Google, vai encontrar cursos de educação financeira de todos os tipos. Eles podem ser pagos ou gratuitos, presenciais ou à distância, de curta ou de longa duração. Isso significa que não vai ser difícil encontrar o que mais se adéqua ao seu perfil e necessidades.

Aplicativos para organização financeira

Os aplicativos de celular já fazem parte da nossa vida em diversas áreas, e não é diferente com a gestão financeira, atividade que hoje pode ser controlada com apenas alguns toques na tela com a ajuda de aplicativos financeiros. A seguir, a gente lista cinco dos melhores Apps disponíveis, para que você tenha o controle financeiro na palma de sua mão! Acompanhe!

  1. Mobills
    O Mobills está entre os mais aclamados, baixados e bem avaliados aplicativos brasileiros, com funcionalidades que realmente chamam a atenção. As despesas podem ser gerenciadas por geolocalização, o que ajuda você usuário a entender onde gasta mais, se é perto de casa, do trabalho ou em algum centro comercial, por exemplo.

Outro destaque é a sincronização dos dados na nuvem, os quais podem ser acessados por todas as plataformas disponíveis (Android, iOS e Web). É possível adicionar contas, despesas, cartões, empréstimos e outras fontes e também exportar relatórios em PDF ou Excel, ideal para quem quer os papéis em mãos.

  1. Spendee
    Para você que gosta de opções mais visuais e com design prático e simples, o Spendee é a opção perfeita, já que as informações são exibidas de maneira prática e fácil de compreender. O app traz a possibilidade de adicionar contas bancárias ou de rastrear os gastos manualmente, o que é bom para quem prefere inserir as informações sem que ele se comunique diretamente com os dados do banco.

Além disso, há opções especiais, como a classificação de transações em filtros como “recorrentes”, o que ajuda a entender qual é a maior fonte de gastos e, assim, motiva os usuários a economizar a curto, médio e longo prazo.

  1. Wallet
    Com um nome bastante sugestivo, o Wallet traz como uma de suas maiores vantagens a possibilidade de compartilhar as informações da conta com outras pessoas, o que é muito bom para casais, famílias e amigos que dividem seus recursos financeiros.

As informações, também dispostas na forma de gráficos, permitem compreender o que se passa com as finanças em um piscar de olhos, sem a necessidade de percorrer longos extratos, os quais podem ser complicados e cansativos de entender.

Você usuário também pode tirar fotos de seus recibos e utilizá-los posteriormente, o que é bom para não perder nenhuma movimentação e também não precisar guardar esses papéis que costumam se perder no bolso, na bolsa ou no carro.

  1. Guiabolso
    Quando se trata de integração, o Guiabolso merece destaque, já que se integra com os cartões de crédito e contas bancárias, de modo que as finanças possam ser administradas em uma plataforma centralizada.

A comparação de índice financeiro com outras pessoas de mesmo perfil ajuda a ter um parâmetro da média de despesas e de organização dos usuários. Além disso, também é possível contratar empréstimos e comparar taxas no próprio aplicativo, o que é ideal para quem precisa de um dinheiro extra.

  1. Organizze
    Quem deseja estabelecer metas pessoais para economizar e entender para onde realmente vai o dinheiro, encontra no Organizze a opção perfeita. O App possui mais de dois milhões de usuários. Os cartões e contas são centralizados na plataforma, desenvolvida de modo a ser totalmente intuitiva e natural.

Com apenas alguns cliques, o dinheiro pode ser controlado com praticidade e, assim, permitir uma verdadeira revolução da sua vida financeira. Além disso, você usuário também pode conferir relatórios, configurar alertas e, futuramente, ter os dados salvos na nuvem para acesso remoto em outros dispositivos.

5 dicas para organizar a sua vida financeira e sair das dívidas

Na sequência, a gente mostra cinco dicas valiosas para você se organizar e sair, de vez, das dívidas e do sufoco financeiro! Veja:

Descubra, de fato, quanto você ganha por mês

Você sabe qual é a sua renda líquida? É o seu salário já com impostos descontados. Sendo CLT, MEI, PJ ou autônomo, você precisa pagar alguns impostos que são descontados da sua renda bruta. O que sobra é o que chamamos de renda líquida, ou seja, o valor real que entra na sua conta mensalmente.

Desse valor real, depois de pagar suas despesas fixas, como aluguel, alimentação, conta de luz e de água, transporte etc, você consegue saber se te sobra algum dinheiro. Está sobrando nenhum, pouco ou muito dinheiro?

Se a resposta foi pouco ou nenhum, chegou o momento de se organizar melhor para entender o que está acontecendo. Seus gastos precisam caber dentro da sua renda mensal ou do seu salário. É a hora de rever suas despesas e saber onde você pode fazer cortes.

Descubra para onde vai o seu dinheiro todos os meses

Depois de entender quanto entra todo mês, é hora de entender quanto sai. Alimentação, transporte, lazer, educação e outras contas fixas que pagamos todo mês. Em qual dessas categorias você está gastando mais? Tem alguma delas que dá para economizar? Você consegue cortar um pouco de alguma despesa fixa?

Por exemplo, os gastos com a sua alimentação estão muito altos nos últimos meses? Diminuir esse gasto parece complicado, mas não é. Basta fazer algumas adaptações em sua rotina: tenha mais refeições em casa, evite comprar aquele cafezinho depois do almoço, faça boas escolhas na hora que for comer fora de casa e evite restaurantes caros.

Faça um planejamento dos seus objetivos

Um objetivo financeiro pode ser comprar um celular novo, quitar uma dívida à vista (super importante, viu!), fazer uma viagem no final do ano ou só ter uma reserva para ter mais tranquilidade no futuro. Tudo está valendo. Mas, pra isso, você precisa fazer um bom planejamento e saber quanto precisa poupar todo mês pra atingir seus objetivos.

Escolha as suas prioridades

Sabemos como é legal sair por aí fazendo compras no shopping e se divertindo com os amigos e com a família, mas, você já parou pra pensar nas faturas que vão chegar com essas despesas? Pois é, nem sempre dá para gastar com tudo o que a gente quer e precisamos priorizar atividades da nossa lista.

Por isso, saiba escolher as suas prioridades. Liste tudo que você precisa gastar – contas de casa, transporte, aluguel etc, e tudo que você quer gastar – compras, sair com amigos ou fazer um curso. Tudo que você precisa gastar é sua prioridade. Caso sobre dinheiro, você pode pensar em gastar com o que quer. Pense nisso.

Tente poupar um dinheirinho a cada mês

Poupar dinheiro todos os meses é o melhor cenário para conquistar os seus sonhos e objetivos e para ter uma reserva de emergência, caso aconteça alguma coisa, tipo ficar desempregado uns meses. Um jeito de conseguir economizar é organizar o seu orçamento para saber quanto (e se) é possível guardar.

Quem entende desse assunto recomenda que seja economizado no mínimo 10% da sua renda líquida mensal. Se der para guardar mais que isso, melhor ainda! Guardar dinheiro é um hábito que precisa ser praticado várias vezes para entrar, e não sair mais, de sua rotina.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*