4 Opções Recomendadas de Investimento para Quem quer Aplicar em 2021

Confira algumas opções interessantes de investimentos para quem quer começar a sua jornada rumo à independência financeira

Por: Da Redação em 26/01/2021

Se você tem o intuito de investir em 2021, o Unum preparou uma lista com opções que se encaixam no perfil de pessoas que estão iniciando no mercado de aplicações financeiras.

 

Em termos de projeção, já ficou comprovado que a tradicional opção do brasileiro pela Poupança não é rentável. Por isso, alguns investimentos com perfil conservador podem lhe conceder uma margem de ganho superior a curto e longo prazo, tudo depende do seu planejamento financeiro. 

Aliás, se você chegou até aqui, é porque realmente possui a intenção de turbinar suas finanças e manter um planejamento de vida bastante equilibrado. Ponto positivo. A educação financeira é fundamental, ainda mais para os desafios de um 2021 que ainda carrega consigo incertezas, mas também traz esperanças  com a chegada das vacinas. 

Veja abaixo os investimentos que separamos para você: 

Exchange Traded Fund (ETF)

Você sempre quis investir na bolsa de valores, mas não tem nenhuma ideia de como são os procedimentos? O Exchange Traded Fund (ETF) é uma ótima opção para iniciar esse processo, pois basicamente permite a compra de várias ações em apenas uma. Também são conhecidos como fundos de índices. Essa modalidade de investimento tem características especiais, e  pode ser uma alternativa para que clientes diversifiquem a carteira de aplicações com pouco custo. As cotas dos ETFs são negociadas no pregão da bolsa de valores como se fossem ações. 

O desempenho oscila conforme a performance dos papéis contemplados pela sua carteira, e também responde à oferta e à demanda pelas cotas no mercado. Para iniciar nesse mundo, o investidor necessita de uma conta em uma corretora, já que é necessário a intermediação desses agentes para negociações na bolsa de valores. O processo de cadastro é feito de forma simples e pode ser concluído de forma eletrônica por meio da apresentação de documentos como CPF e identidade. Depois, caberá ao cliente o depósito dos valores a serem investidos por meio de DOC ou TED. 

Mas se atente a um fato, como é um investimento variável, não existe garantia de lucro quando se decide pela ETF. Ao cliente, caberá o desafio de, junto à sua corretora, encontrar a melhor opção de carteira com possibilidade de faturamento tendo em vista a reação do mercado. 

CDB

Os Certificados de Depósitos Bancários (CDBs) são investimentos para quem busca um retorno especialmente de curto prazo. Alguns títulos possuem validade de três anos, por exemplo. Mas é preciso ter em mente que você só será capaz de receber o dinheiro no vencimento do título. Como toda a aplicação, existem riscos. Para minimizar perdas, existe um mecanismo chamado Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Caso o banco emissor do CDB vá à falência, ele assegura investimentos de até R$ 250 mil. 

Tesouro Selic 

Essa é uma ótima modalidade para quem está pensando em um investimento de curto prazo, reserva de emergência ou simplesmente quer se livrar da tradicional poupança. O rendimento de sua aplicação é regulado pela taxa básica de juros, a Selic. Outros atrativos também tornam essa opção bastante vantajosa para quem tem um perfil mais conservador. Diferentemente de outros investimentos, você pode solicitar a retirada quando quiser. O dinheiro já ficará disponível no próximo dia útil. 

Para se ter ideia, o Tesouro Selic rende 100% da taxa Selic, enquanto a Poupança rende apenas 70%. A única desvantagem dessa modalidade é o seguinte cenário: a taxa Selic for inferior a 3% e o capital ficar investido por pouquíssimos dias (menos de 30 dias). Além de uma taxa de custódia de 0,25% ao ano sobre as operações, os resgates com prazo inferior a 30 dias estão condicionados à incidência do IOF (Imposto Sobre Operações Financeiras).

Tesouro IPCA

Esse é um ativo de renda fixa voltado para o perfil de investidor que busca um resgate a longo prazo. O tempo estimado, por exemplo, pode ser de 30 anos. A sua rentabilidade está atrelada ao principal índice de inflação no Brasil, o IPCA. Na modalidade, seu dinheiro fica protegido contra aumentos e tem o poder de compra garantido, uma vez que oferece uma taxa prefixada sobre a inflação. O título também é uma alternativa mais segura do que a poupança. Porém, a principal desvantagem nesse tipo de investimento é que uma retirada antes do prazo pode simbolizar um retorno muito menor do que o investido inicialmente. 

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*