Seguro de vida: como funciona e por que eu devo contratar?

Por: Da Redação em 09/02/2021

Quantas vezes você já ouviu falar sobre seguro de vida, mesmo sem sequer saber exatamente como funciona esse serviço? Aposto que muitas. Apesar de importantíssimo, muitos o tem atrelado ao trabalho e sequer sabem de seus benefícios. Outros, sequer sabem o porquê de contratar esse auxílio, que pode pode ser bastante necessário nos momentos difíceis.

Porém, aos poucos, essa situação vem mudando, felizmente. Segundo pesquisa realizada com 2.000 pessoas pelo Ibope, a pedido da Prudential, 20% dos entrevistados afirmaram ter interesse de adquirir um seguro de vida, individual ou em grupo.

O estudo também aponta que 15% dos entrevistados têm um seguro de vida, seja ele pago de forma individual, por um familiar ou mesmo pela empresa em que trabalha. Então, vamos lhe explicar melhor o motivo desse panorama estar mudando, detalhando cada um dos benefícios de um seguro de vida e como ele funciona. Vem com a gente.

O que é seguro de vida?

O seguro de vida é uma apólice que você contrata e que prevê o pagamento aos beneficiários do segurado em caso de morte de quem o contrata. Porém, as coberturas podem ir além disso, algumas prevêem indenização aos herdeiros também em casos de:

  • Auxílio ou assistência-funeral (SAF);
  • Despesas Médicas, Hospitalares e Odontológicas (DMHO);
  • Diárias de Incapacidade Temporária (DIT);
  • Diárias por Internação Hospitalar (DIH);
  • Doenças graves (como câncer, infarto agudo do miocárdio, AVC e cirurgia de revascularização do miocárdio mediante fixação de ponte vascular);
  • Invalidez (funcional ou laborativa, total ou parcial por acidente ou por doença);

Porém, para receber o valor, é necessário arcar com sua apólice, que costuma ser cobrada por meio de mensalidade durante toda a vigência do contrato.

Como funciona o seguro de vida?

Sabe seu seguro de automóvel ou da sua residência contra incêndio. Pois bem, o seguro de vida funciona praticamente da mesma forma, como um contrato em que a seguradora contratada pagará uma indenização se algum dos eventos acima previstos (ou qualquer outro que esteja dentro da apólice) ocorram.

Ou seja, por exemplo, caso o segurado morra, seus beneficiários receberão a indenização, desde que eles tenham sido escolhidos no momento da contratação do serviço. Caso o contratante tenha se esquecido de declarar beneficiários, o valor será entregue aos dependentes legais.

Porém, para que isso ocorra, o segurado precisará estar em dia com seu seguro, seja ele através de mensalidades ou de parcela únicas.

Quais são os benefícios do seguro de vida?

Bem, você já deve ter visto que contratar um seguro de vida dará tranquilidade para você e sua família diante de um imprevisto, uma doença ou um falecimento. Com ele, você ajudará a blindar os dependentes de eventuais dificuldades financeiras que eles poderão passar em caso de algum incidente acima listado.

Então, se você tem filhos ou outros dependentes, passe a pensar nessa hipótese, pois eles contarão com auxílio financeiro no momento de maior dificuldade. Além disso, o seguro de vida lhe dá outras vantagens, como:

  • Cobertura de despesas funerárias
  • Cobertura de doenças graves
  • Cobertura de gastos com medicamentos
  • Garantia de segurança financeira
  • Possibilidade de resgate do valor aplicado
  • Proteção para o cônjuge
  • Reembolso de despesas médico-hospitalares

Quais são os principais tipos de seguro?

Tradicional

O tradicional, como o nome diz, é o mais comum dentre os vendidos no mercado. Nele, basicamente, há um contrato entre contratante e seguradora que gera direitos e obrigações correspondentes a cada um dos envolvidos.

O segurado tem como obrigação pagar o prêmio em dia, seja em parcelas ou em uma única oportunidade. Com esse dinheiro, a seguradora se mantém e paga as indenizações aos demais contratantes.

A seguradora tem como obrigação pagar o valor fixado no ato da contratação do seguro. Esse valor será repassado aos beneficiários que foram incluídos no momento da contratação da apólice de seguro.

Resgatável

O seguro de vida resgatável possui os mesmos benefícios do tradicional, porém, nessa modalidade, o contratante poderá resgatar parte do valor caso o sinistro não ocorra. Ou seja, depois de um tempo contribuindo com o seguro, você poderá sacar parte do dinheiro investido, o que vira uma opção que combina investimento e proteção.

Geralmente, essa carência é de dois anos. Quanto maior for o tempo de contribuição, maior será o percentual do montante disponível para saque, já que esse valor também é corrigido pelo IPCA, a inflação oficial.

Temporário

Já o seguro de vida temporário, como o próprio nome já sugere, é pago apenas durante um período limitado. É uma boa pedida para quem deseja garantir a manutenção do padrão de vida da família durante determinado período de tempo.

Temporário decrescente

O seguro de vida temporário decrescente é muito parecido com o supracitado, porém, nesse caso, o valor da indenização que será paga pela seguradora irá diminuindo ao longo do tempo, até o fim do contrato, quando ele zera por completo.

O que é um sinistro em um seguro de vida?

Quando você contrata um seguro de vida, automaticamente é emitida uma apólice, que listará as coberturas que fazem parte do plano, como auxílio funerário, auxílio medicamentos, entre outros. Esse documento é conhecido, no jargão dos seguros, como sinistro.

Sinistro nada mais é do que uma ocorrência de um evento cuja cobertura estava contratada no seguro. Ou seja, se, por exemplo, você tiver uma doença grave e ela fazer parte de sua apólice de seguro, esse acontecimento será configurado como sinistro.

Como aciono um seguro de vida?

Caso você tenha um sinistro e precise acionar um seguro de vida, o procedimento é bem simples. Basta contactá-la através do contato já repassado e apresentar algumas cópias de documentos. Veja abaixo quais documentos levar para acionar o seguro de vida:

  • cópia autenticada da certidão de óbito (em caso de morte);
  • cópia simples do boletim de ocorrência (se aplicável);
  • cópia simples do RG do segurado;
  • cópia simples do CPF do segurado;
  • cópia simples da certidão de casamento (caso o segurado seja casado).

Para que serve a apólice em um seguro de vida?

A apólice do seguro de vida nada mais é que contrato entre a seguradora e o segurado que define as regras de contratação do benefício. Através dele, são estipulados os termos do acordo e os riscos aos quais o beneficiário estará sujeito, além dos valores que ele e seus herdeiros terão direito caso aconteça algum sinistro.

O documento também estipula as responsabilidades das partes, como o pagamento que deverá ser feito pelo beneficiário ou qual valor ele receberá da seguradora. Ou seja, a apólice de seguro de vida é documento que garante os direitos do segurado e da seguradora. Não à toa, trata-se de um instrumento com validade jurídica plena.

Como um simulador de seguro de vida pode ajudar?

O prêmio do seguro de vida é calculado de acordo com o nível de risco da seguradora, que, tal qual um seguro para seu veículo, levará em conta vários fatores, o que faz com que os valores mudem muito de pessoa para pessoa. Nesse caso, costuma-se incluir no cálculo variáveis como faixa etária, sexo, condições de saúde, profissão, coberturas e capital segurad.

A simulação, nesse caso, faz com que você consiga verificar quais as melhores condições que cada empresa pode lhe oferecer. Além disso, você pode buscar coberturas exclusivas às suas necessidades, como, por exemplo, um seguro para doenças graves.

Para além, com a simulação, você pode obter o melhor custo-benefício e evitar coberturas desnecessárias e ficar descoberto em situações fundamentais.

Como escolher o melhor seguro de vida?

Nada do que foi dito acima fará sentido se você não escolher o melhor seguro de vida. Por isso, Alexandre Vicente, diretor de seguros de pessoas da Liberty Seguros, dá dicas fundamentais na hora de contratar seu seguro. Confira:

Defina objetivos

É importante que sejam avaliados os planos pessoais e profissionais a curto e médio prazo, bem como os planos familiares. É possível contratar um seguro com menos coberturas hoje, garantindo renda em caso de impossibilidade de trabalhar por conta de algum acidente, por exemplo.

Mas se a intenção é ter filhos ou se casar, é bom pensar em incluir a futura família de antemão. Caso o usuário já tenha uma família, há diversas opções mais completas que visam amparar o futuro dela.

O cálculo da indenização ideal é imprescindível

Ao escolher o plano, é importante ter em mente o custo de vida do local de residência e os gastos necessários para que o segurado e sua família consigam se manter em caso de alguma fatalidade.

O jeito ideal para calcular a indenização é entender qual o ganho mensal do segurado e qual sua importância para a estabilidade da renda familiar. É importante que o seguro cubra pelo menos o valor referente aos gastos essenciais atribuídos ao segurado, como aluguel residencial, educação dos filhos e alimentação” [Alexandre Vicente – diretor de seguros de pessoas da Liberty Seguros]

Sempre bom ter um corretor de confiança

É essencial contar com um corretor que auxilie e dê assistência desde o momento da cotação dos planos até o momento de uso e pagamento de possível sinistro. É o corretor que vai fazer as cotações para que o cliente possa analisar vantagens e desvantagens e avaliar as assistências opcionais.

O melhor seguro para cada necessidade

Na hora da contratação do seguro de vida, é muito importante escolher uma companhia de confiança, consolidada e que ofereça coberturas adequadas às necessidades a diversos perfis de clientes.

Existem diversas seguradoras que oferecem atendimento online rápido e eficiente para corretores e segurados, além de aplicativos que oferecem todas as informações detalhadas sobre os seguros da companhia ao alcance de alguns toques no celular. Com essas novas ferramentas, os clientes e corretores têm maior agilidade e facilidade no contato com a companhia.

Assistências além das coberturas básicas

Sim, é possível ter acesso a outros tipos de serviços ao contratar um seguro de vida.

Um seguro de vida deve ser escolhido com muita atenção para que traga tranquilidade para o segurado e sua família. Ele deve englobar todos os benefícios que um seguro de vida pode oferecer para que o cliente não fique com a sensação de que é um produto sem custo/benefício, e sim que há um valor nessa contratação, como tranquilidade, segurança, bem-estar, entre outros” [Alexandre Vicente – diretor de seguros de pessoas da Liberty Seguros]

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*